Projetos

 

Designação do projeto:

Direitos Digitais: Uma password para o futuro

Coordenador(a) do projeto:

Paula Lopes (UAL) e Fernanda Santos (DECO)
O projeto de investigação “Direitos digitais: Uma password para o futuro” é fruto de uma parceria entre a Universidade Autónoma de Lisboa (UAL) e a Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO). Constituiu, para as duas instituições, uma oportunidade e um ponto de partida para o estudo, análise e reflexão acerca de práticas digitais, de riscos e de vulnerabilidades dos jovens portugueses no mundo digital.

Equipa de investigadores:

Bruno Reis
Célia Quintas
Inês Amaral
João Sousa
Paula Lopes

Assistentes de Investigação:

João Honrado
João Serralha

Principais objetivos do projeto:

    • Identificar conjuntos de práticas e de consumos mediáticos e digitais, a vários níveis, nomeadamente ao nível da produção de conteúdos;

    • Perceber atitudes face aos novos media;

    • Identificar (e tentar explicar) situações de risco e vulnerabilidades no mundo digital, como o ciberbullying, o roubo de perfis e de dados nas redes sociais, a exposição a conteúdos violentos e/ou a conteúdos eróticos ou pornográficos.

    Início do projeto: 2013


    Designação do projeto:

    Praticas, consumos y riesgos digitales de los jovens de Querétaro

    Coordenador(a) do projeto:

    Sergio Rivera Magos, Bruno Reis e Paula Lopes
    Este projeto de investigação de natureza comparativa resulta de um convénio de colaboração assinado entre a Universidade Autónoma de Lisboa (UAL) e a Universidad Autónoma de Querétaro (UAQ), e surge como um primeiro passo na internacionalização da pesquisa inicial (UAL/DECO).

    Equipa de investigadores:

    Bruno Reis
    João Sousa
    Paula Lopes
    Sergio Rivera Magos

    Assistentes de investigação:

    Aleina Canela Hurtado Sánchez de la Vega
    Nadia Barajas Tenorio
    Karla Negrete Huelga.

    Principais objetivos do projeto:

      • Identificar conjuntos de práticas e de consumos mediáticos e digitais, a vários níveis, nomeadamente ao nível da produção de conteúdos;

      • Perceber atitudes face aos novos media;

      • Identificar (e tentar explicar) situações de risco e vulnerabilidades no mundo digital, como o ciberbullying, o roubo de perfis e de dados nas redes sociais, a exposição a conteúdos violentos e/ou a conteúdos eróticos ou pornográficos.

      Início do projeto: 2016


      Designação do projeto:

      Práticas e riscos digitais dos estudantes universitários do ensino público de Cabo Verde

      Coordenador(a) do projeto:

      João Madeira, Bruno Reis e Paula Lopes
      Este projeto resulta de colaborações académicas realizadas com docentes das Ciências Socias da Universidade de Cabo Verde (UNI-CV). Na sequência dos trabalhos desenvolvidos em Portugal e no México, procedeu-se à aplicação de inquéritos a jovens universitários de Cabo Verde, ampliando uma rede internacional capaz de municiar uma base de dados partindo de uma metodologia de recolha comum, que permita a realização de um trabalho de natureza comparativa.

      Equipa de investigadores:

      Bruno Reis
      Carlos Pedro Dias
      João Sousa
      João Madeira
      Paula Lopes
      Vítor Tomé

      Assistentes de Investigação:

      Cintina Barros
      Elisângela Fernandes

      Principais objetivos do projeto:

        • Identificar conjuntos de práticas e de consumos mediáticos e digitais, a vários níveis, nomeadamente ao nível da produção de conteúdos;

        • Perceber atitudes face aos novos media;

        • Identificar (e tentar explicar) situações de risco e vulnerabilidades no mundo digital, como o ciberbullying, o roubo de perfis e de dados nas redes sociais, a exposição a conteúdos violentos e/ou a conteúdos eróticos ou pornográficos.

        Início do projeto: 2017


        Designação do projeto:

        Práticas, consumos e riscos digitais dos jovens de Angola

        Coordenador(a) do projeto:

        Helder Bahu, Bruno Reis e Paula Lopes
        Este projeto resulta de um contacto realizado pelos coordenadores do NIP-C@M e do OBSERVARE com o professor angolano Helder Bahu. Decorrente desta parceria académica, foi desenhado um projeto de investigação de natureza comparativa para aferirmos usabilidades digitais, na sequência dos trabalhos desenvolvidos em Portugal, no México e em Cabo Verde. Pela aplicação de inquéritos por questionário a jovens angolanos, ampliámos a rede internacional NIP-C@M.

        Equipa de investigadores:

        Bruno Reis
        Carlos Pedro Dias
        Helder Bahu
        Paula Lopes
        Vítor Tomé

        Principais objetivos do projeto:

          • Identificar conjuntos de práticas e de consumos mediáticos e digitais, a vários níveis, nomeadamente ao nível da produção de conteúdos;

          • Perceber atitudes face aos novos media;

          • Identificar (e tentar explicar) situações de risco e vulnerabilidades no mundo digital, como o ciberbullying, o roubo de perfis e de dados nas redes sociais, a exposição a conteúdos violentos e/ou a conteúdos eróticos ou pornográficos.

          Início do projeto: 2018


          Designação do projeto:

          Práticas, consumos e riscos digitais dos jovens de Moçambique

          Coordenador(a) do projeto:

          João Miguel, Bruno Reis e Paula Lopes
          Este projeto de investigação de natureza comparativa resulta de uma parceria realizada pelos coordenadores do NIP-C@M e do OBSERVARE com o professor moçambicano João Miguel. Pretendemos aferir usabilidades digitais, na sequência dos trabalhos desenvolvidos em Portugal, no México, em Cabo Verde e em Angola. Pela aplicação de inquéritos por questionário a jovens moçambicanos, ampliámos a rede internacional NIP-C@M.

          Equipa de investigadores:

          Bruno Reis
          Carlos Pedro Dias
          João Miguel
          Paula Lopes
          Vítor Tomé

          Principais objetivos do projeto:

            • Identificar conjuntos de práticas e de consumos mediáticos e digitais, a vários níveis, nomeadamente ao nível da produção de conteúdos;

            • Perceber atitudes face aos novos media;

            • Identificar (e tentar explicar) situações de risco e vulnerabilidades no mundo digital, como o ciberbullying, o roubo de perfis e de dados nas redes sociais, a exposição a conteúdos violentos e/ou a conteúdos eróticos ou pornográficos.

            Início do projeto: 2019